Publicado em

Escolhemos As Vidas Que Vivemos

Escolhemos As Vidas Que Vivemos

“Eu fui uma vez uma mãe com doze filhos. Ignorante em termos de educação, longe de ser bela, particularmente em anos posteriores, com um temperamento selvagem e voz rouca. Isto foi cerca de Jerusalém no século VI. As crianças tinham muitos pais. Eu fiz o meu melhor para prover para elas.

“Meu nome era Marshaba. Vivíamos onde podíamos, agachados nas entradas e, finalmente, todos mendigando. No entanto, nessa existência, a vida física tinha um contraste, uma nitidez maior do que qualquer outra que eu conhecera. Uma crosta de pão era muito mais deliciosa para mim do que qualquer pedaço de bolo, por mais glacê que tivesse tido em vidas anteriores.

“Quando meus filhos riam, sentia-me encantada e, apesar das nossas privações, todas as manhãs era uma surpresa triunfante ver que não morremos durante nosso sono, que não tivéssemos sucumbido à fome.

“Eu escolhi essa vida deliberadamente, como cada um de vocês escolhe cada uma de suas vidas, e eu fiz isso porque minhas vidas anteriores me deixaram muito blasé. Eu estava muito almofadado. Eu não mais focava com clareza sobre as verdadeiras delícias físicas espetaculares e experiências que a terra pode fornecer.

“Embora eu gritasse com meus filhos e berrasse às vezes de raiva contra os elementos, fiquei impressionada com a magnificência da existência e aprendi mais sobre a verdadeira espiritualidade do que jamais fiz como monge. Isso não significa que a pobreza leve à verdade, ou que o sofrimento seja bom para a alma. Muitos que compartilhavam essas condições comigo aprenderam pouco. Isso significa que cada um de vocês escolhe as condições de vida que você tem para o seu próprio propósito, sabendo de ante-mão onde suas fraquezas e forças estão.

“Na composição da minha personalidade, conforme, em seus termos, eu vivi vidas mais ricas depois, aquela mulher esteve viva novamente em mim —como, por exemplo, a criança está viva no adulto e cheia de gratidão comparando circunstâncias posteriores com as existências anteriores . Ela me incentivou a usar melhor as minhas vantagens.”

~ SETH [Seth fala, Sessão 589]

FONTE: Kanye West diz que 400 anos de escravidão foram uma escolha

Publicado em

We Choose The Life We Live

We Choose The Life We Live

“I was once a mother with twelve children. Ignorant in terms of education, far from beautiful, particularly in later years, with a wild temper and raucous voice. This was around Jerusalem in the sixth century. The children had many fathers. I did my best to provide for them.

“My name was Marshaba. We lived wherever we could, squatting in doorways and, finally, all begging. Yet in that existence, physical life had a contrast, a sharpness greater than any I had known. A crust of bread was far more delicious to me than any piece of cake, however well frosted, had ever been in lives before.

“When my children laughed I was overwhelmed with delight, and despite our privations, each morning was a triumphant surprise that we had not died in our sleep, that we had not succumbed to starvation.

“I chose that life deliberately, as each of you choose each of yours, and I did so because my previous lives had left me too blase. I was too cushioned. I no longer focused with clarity upon the truly spectacular physical delights and experiences that earth can provide.

“Though I yelled at my children and screamed sometimes in rage against the elements, I was struck through with the magnificence of existence, and learned more about true spirituality than I ever did as a monk. This does not mean that poverty leads to truth, or that suffering is good for the soul.

“Many who shared those conditions with me learned little. It does mean that each of you choose those life conditions that you have for your own purpose, knowing ahead of time where your weaknesses and strengths lie.

“In the gestalt of my personality, as in your terms I lived later richer lives, that woman was alive again in me—as, for example, the child is alive in the adult, and filled with gratitude comparing later circumstances to the earlier existences. She urged me to use my advantages better.”

~ SETH [Seth Speaks, Session 589]

Publicado em

Intenção Consciente

Intenção Consciente

“Em seu sistema de realidade, as outras criaturas não podem deixar de agir com boa intenção, mesmo que sua intenção seja matar suas presas. Devido a muitas razões dadas em todo o material, a humanidade tirou-se fora desse contexto.”

“Aparentemente, ela desistiu de uma certa identificação com a natureza e, como resultado, ela finalmente chegará a apreciá-la de um ponto de vista completamente diferente. Ela aprenderá a ser “conscientemente” bem-intencionada. Ela procurará conscientemente o seu próprio bem, não à custa dos outros, pois ela perceberá que não pode alcançar nenhum bem dessa maneira.”

“Você não pode matar um galinha, pessoalmente, e comê-la confortavelmente. Você certamente não pode matar uma vaca, sozinho. Você sabe que os matadouros são cruéis, que os animais não são mortos limpa e rapidamente e, em certa medida, o desassossego psíquico desses animais É consumido com sua carne.”

“Quando o homem aprender a se aproximar de um ambiente psicologicamente bem-intencionado, ele estará seguindo a natureza inerente de todas as realidades.”

~ SETH [As Sessões Pessoais, Livro 4, Sessão 9/ago/78]

Publicado em

Conscious Intent

Conscious Intent

“In your system of reality, the other creatures cannot help but act with good intent, even if their intent is to kill their prey. Because of many reasons given throughout the material, mankind took himself out of that context.

“Seemingly, he gave up a certain identification with nature and as a result, he will finally come to appreciate it from an entirely different viewpoint. He will learn to be ‘consciously’ well-intentioned. He will consciously seek his own good, not at the expense of others, for he will realize that he cannot achieve any good in that manner.

“You cannot kill a chicken, personally, and eat it comfortably. You certainly cannot kill a cow, by yourself. You know that slaughterhouses are cruel, that animals are not killed quickly or cleanly and to some extent, the psychic disquiet of those animals IS consumed with their meat.

“When man learns to approach a well-intentioned, psychological environment, he will then be following the inherent nature of all realities.”

~ SETH [The Personal Sessions, Book 4, Session 8/9/78]

Publicado em

A Mensagem de Cristo Foi Que Cada Homem É Inerentemente Bom

A Mensagem de Cristo Foi Que Cada Homem É Inerentemente Bom

“A mensagem de Cristo foi que cada homem é inerentemente bom, e é uma parte individualizada do divino — e ainda assim uma civilização baseada nesse preceito nunca foi tentada. As vastas estruturas sociais do cristianismo baseavam-se, em vez disso, na natureza “pecaminosa” do homem — não nas organizações e estruturas que o permitissem tornar-se bom ou obter a bondade que Cristo claramente percebeu o homem já ser possuído.”

~ SETH [A Natureza dos Eventos de Massa, Sessão 829]

Publicado em

Christ’s Message Was That Each Man Is Inherently Good

Christ's Message Was That Each Man Is Inherently Good

“Christ’s message was that each man is inherently good, and is an individualized portion of the divine – and yet a civilization based upon that precept has never been attempted. The vast social structures of Christianity were instead based upon man’s ‘sinful’ nature – not the organizations and structures that might allow him to become good, or to obtain the goodness that Christ quite clearly perceived man already possessed.”

~ SETH [The Individual and The Nature of Mass Events, Session 829]

Publicado em

Eliminate Negative Thought Promptly, Always

Eliminate Negative Thought Promptly, Always

Now listen to me. When you find yourself facing such negative images in your mind and projecting them into the future, you should at once mentally wipe out that image and replace it with a constructive image, seeing yourself, for example, sitting in command of a well-ordered room. This must be done immediately and upon every such occasion and under every such circumstance. This exercise will indeed wipe out the previous negative image.

~ SETH — The Early Sessions, Book 7, Session 332, Page 333

Publicado em

Sempre Eliminar Pensamento Negativo Prontamente

Sempre Eliminar Pensamento Negativo Prontamente

Agora, me ouçam. Quando vocês se depararem com essas imagens negativas em sua mente e projetá-las para o futuro, vocês devem de imediato mentalmente destruir essa imagem e substituí-la por uma imagem construtiva, vendo-se, por exemplo, sentando no comando de uma sala bem organizada. Isto deve ser feito imediatamente em cada tal ocasião e circunstância. Este exercício de fato eliminará a imagem negativa anterior.

~ SETH [ Traduzido por Christina Chalréo Breault ] — As Primeiras Sessões, Livro 7, Sessão 332, Página 333

Publicado em

Como Fazer Contato Com O Seu Mentor Espiritual

Como Fazer Contato Com O Seu Mentor Espiritual

Uma pessoa que assiste os meus vídeos me escreveu perguntando o seguinte:

Como fazemos para entrarmos em contato com nosso mentor ? Realmente há um preparo para isso? Tenho visto alguns vídeos na Internet referente a isso, mas muito deles enrolam para explicar, e não dizem coisa nenhuma, e muitas vezes fazem venda de livros e materiais que explicam. Mas acho desnecessário gastar quase R$300,00 só para saber disso. Gostaria de uma coisa mais direta e simples , se possível.

Lembro que assistindo a seus vídeos, você disse que ficou chateada, pois soube que os conteúdos de seus vídeos estavam sendo exibidos, sem sua autorização, e você optou por removê-los, mas depois decidiu voltar atrás e continuar com seu trabalho, após essa conversa com seu mentor. Então gostaria de saber: como faço para entrar em contato com meu mentor?

Em resposta a pergunta, eu vou compartilhar um texto de SETH onde ele fala sobre a nossa conexão com o mundo espiritual, onde pensamos estar os grandes mentores espirituais. Mas se pensarmos que somente no mundo espirtual eles estão presentes, estaremos limitando a capacidade dos próprios seres que consideramos superiores em evolução espiritual e, sendo assim, porque estariam num planeta como o nosso? O problema em pensar assim é que colocamos uma venda em nossos próprios olhos porque só conseguimos ver aquilo que está dentro da nossa consciência. Tudo no mundo físico é espiritual. Só porque entramos no mundo físico não perdemos nossa essência espiritual, continuamente exibida e comunicada através de nossas emoções, que são nossa energia emitida de dentro de nós para o universo todo, aqui e além. É esse além que só conseguimos alcançar com a nossa consciência e onde encontramos os guias desencarnados, os mentores espirituais. Eis o que um deles, SETH, diz sobre isto:

“Você não é agora o que era dez minutos antes, você não é o mesmo ser física, psicológica, espiritual ou psíquicamente, e dez minutos após este momento você será diferente novamente.Negar isso é tentar forçar a consciência em alguma forma rígida a partir da qual não consegue nunca ser libertada, a aplicar-lhe regras que fazem um cenário psicológico bastante agradável.

(Neste momento a voz de Seth realmente começou a crescer.)

“AGORA, EU GOSTARIA QUE VOCÊ NOVAMENTE SE CONSCIENTIZASSE DA ENERGIA QUE ESTÁ DISPONÍVEL. SE RUBERT PODE USÁ-LA, CADA UM DE VOCÊS PODE USÁ-LA EM SUA PRÓPRIA MANEIRA. EU QUERO QUE VOCÊS ABRAM ESSA BARREIRAS QUE VOCÊS ERGUERAM DENTRO DE VOCÊS MESMOS. ESTA VOZ [QUE VOS FALA] É SOMENTE USADA COMO SÍMBOLO DA ENERGIA E DA FORÇA QUE ESTÁ DISPONÍVEL PARA CADA UM DE VOCÊS, À MEDIDA QUE VOCÊS USAM ESSAS HABILIDADES QUE SÃO SUA HERANÇA.

“Você deveria ouvir o seu próprio eco da minha voz como um símbolo de sua própria energia e alegria. Esqueça os egos trêmulos que vocês às vezes são e, em vez disso,  lembrem-se a essência mágica de seu próprio ser que canta mesmo agora através de seus dedos. Esta é a realidade que você está procurando. Experimente-a plenamente. Vocês precisam de uma coisa velha e morta como eu para lhe dizer o que é a vida? Eu deveria ter vergonha.

“Agora, desejo-vos uma boa noite e as bênçãos que são minhas para dar, eu lhes dou. Viajem em paz, alegria e segurança, em seus corpos e fora [deles].”

~ Seth Fala, Apêndice, Sessão da Classe de ESP, terça-feira, fevereiro 9, 1971

Como vêem, é importante nos libertarmos de qualquer crença que nos limita de ser e agir como os deuses criadores que somos. Se somos deuses, como de fato somos, então vamos SER! Vamos ocupar esta posição em nós mesmos!!

De modo que aquele mendigo sentado na esquina com uma latinha de esmolas é um deus, e ele também tem muito a nos ensinar, e a primeira lição, logo de cara, é que como um deus podemos escolher até mesmo deixar de ser deus e viver uma realidade onde cremos que deus nem existe. O sofrimento só é bom quando ensina que sofrer não é necessário. Nao precisamos mendigar ao Universo! E isso inclui mendigar por contato com nossos mentores espirituais, ou por abundância, por saúde ou plenitude, pois tudo é a nossa herança como os deuses que somos!

Publicado em

Love, Sexuality and The Conjured Relationships by The Law of Attraction

Love, Sexuality and The Conjured Relationships by The Law of Attraction

“Love is a biological necessity, a force operating to one degree or another in all biological life. Without love there is no physical commitment to life—no psychic hold.

“Love exists whether or not it is sexually expressed, though it is natural for love to seek expression. Love implies loyalty. It implies commitment. This applies to lesbian and homosexual relationships as well as to heterosexual ones. In your society, however, identity is so related to sexual stereotypes that few people know themselves well enough to understand the nature of love, and to make any such commitments.

“A transitory period is currently taking place, in which women seem to seek the promiscuous sexual freedom more generally granted to men. It is believed that males are naturally promiscuous, aroused by sexual stimuli almost completely divorced from any complementary ‘deeper’ response. The male, then, is thought to want sex whether or not he has any love response to the woman in question—or sometimes to desire her precisely because he does not love her. In such cases, sex becomes not an expression of love, but an expression of derision or scorn.

“So women, accepting these ideas often, seek for a situation in which they too can feel free to express their sexual desires openly, whether or not any love is involved. Yet loyalty is love’s partner, and the primates display such evidence in varying degrees. The male in particular has been taught to separate love and sex, so that a schizophrenic condition results that tears apart his psyche — in operational terms — as he lives his life.

The expression of sexuality is considered male, while the expression of love is not considered manly. To some extent or another, then, the male feels forced to divide the expression of his love from the expression of his sexuality. It would be disastrous for women to follow the same course.

This great division has led to your major wars. This does not mean that men were alone responsible for wars. It does mean that the male so divorced himself from the common fountain of love and sex that the repressed energy came forth in those aggressive acts of cultural rape and death, instead of birth.

When you look at the animal kingdom, you suppose that the male chooses blindly, led by “dumb” instinct, so that in overall terms one female will do as well as any other. When you discover that a certain chemical or scent will attract a certain male insect, for example, you take it for granted that element is alone responsible for drawing the male to the female. You take it for granted, in other words, that individual differences do not apply in such cases so remote from your own reality.

You simply are not able to understand the nature of such consciousness, and so you interpret their behavior according to your beliefs.  This would be sad enough if you did not often use such distorted data to further define the nature of male and female behavior.

“In so distorting your ideas of sex, you further limit the great capacities of human loyalty, which is always connected with love and love’s expression. Lesbian and homosexual relationships then are at best tenuous, overwrought with confused emotions, very seldom able to maintain a stability that allows for individual growth. Heterosexual relationship also break down, for the identity of each partner becomes based upon sexual roles that may or may not apply to the individuals involved.

“Since you feel that sex is the only proper method of love’s expression, and yet also believe that sex and love are divided, you are in a quandary. These sexual beliefs are also far more important in national relationships than you realize, for you attempt to take what you think of as a masculine stance as a nation. So, for example, does Russia. India takes a feminine stance — in terms of your beliefs, now.

“One small note: A male with growths of any kind — kidney stones or ulcers, for example — has tendencies he considers feminine and, therefore, “dependent” of which he is ashamed.  In a mock biological ceremony, he gives birth to the extent that he produces within his body material that was not there before. In ulcers, the stomach becomes the womb — bloodied, giving birth to sores — his interpretation of a male’s “grotesque” attempt to express feminine characteristics.”

~ SETH [The Nature of the Psyche, Session 770]

CONCLUSION: Sex is an expression of love and if it’s not used in such manner, the energy is being misused and misdirected.

Publicado em

Renascimento Psíquico

Renascimento Psíquico

“A intensidade do sentimento interior é o fator dominante [aqui].

“Uma repentina mas intensa sensação de ódio ou ressentimento ou medo pode causar trágicas circunstâncias físicas, por exemplo. Uma exaltação súbita e intensa, no entanto, terá o mesmo efeito físico imediato e literalmente espantoso, mas oposto. Ou seja, pura alegria, mesmo de curta duração, pode literalmente mudar a direção de uma vida.

“Entre estes extremos estão todas as outras cores e matizes do sentimento interior. Uma variedade de sentimentos pobres ou negativos, no entanto, de intensidade bastante baixa, pode se somar a um clima emocional negativo geral, que se projeta para fora na realidade física.

“Esses sentimentos negativos serão traduzidos em termos físicos. Faz pouco bem saber que os sintomas físicos ou ambientes físicos inadequados são simbólicos a menos que você perceba que a situação interna pode ser alterada.

“Agora APARECE a você que uma diferença é trabalhada quando você troca um símbolo físico pobre por um construtivo. A mudança de curso vem antes disso no eu interior. O ser físico simplesmente usa o sistema físico como um tabuleiro.

“Deve ser percebido que as condições físicas não são permanentes, mas sempre em mudança. Imaginar o contrário é tornar-se hipnotizado pelos símbolos físicos.

“Cada dia deve ser considerado um novo dia. Ruburt‡ não deve pensar, por exemplo: “Eu tenho tido esses sintomas por tanto e tanto tempo.” Isso reforça a idéia de permanência.

“O dia deve ser considerado como um renascimento psíquico.”

~ SETH – As Primeiras Sessões, Livro 8, Sessão 334 [Traduzido por Chris C. Breault]

Ruburt é como Seth chamava Jane Robert, devido uma conexão de pai e filho que tiveram em vidas passadas onde Jane Robert foi filho de Seth, em cerca do século VI.

Publicado em

O Poder da Imaginação e da Emoção + Exercício

O Poder da Imaginação e da Emoção + Exercício

“Imaginação e emoções são as formas mais concentradas de energia que você possui como criaturas físicas. Qualquer forte … [Texto completo no vídeo]